História da Universidade Nova de Lisboa

 

As Universidades em Portugal têm uma tradição antiga. A primeira universidade portuguesa foi fundada em 1289 na cidade de Coimbra, em resposta à crescente necessidade de educação, divulgação de conhecimentos e troca de ideias. 

 

A Universidade Nova de Lisboa foi fundada a 11 de agosto de 1973, e é a mais nova das três universidades públicas de Lisboa. Integrada num quadro de expansão e diversificação do ensino superior, a Universidade adotou um novo modelo dentro do sistema Português que salientou abordagens interdisciplinares, desenvolvimentos tecnológicos e, ao mesmo tempo, salvaguardar ofertas em domínios académicos tradicionais, incluindo medicina, ciências e humanidades.

 

Passados quatro anos, foi necessário implantar algumas alterações ao primeiro modelo de forma a honrar o compromisso da Universidade NOVA de Lisboa relativamente à excelência e à investigação. No entanto, os vetores principais definidos quando a Universidade foi estabelecida – inovar a formação académica para responder à necessidade de desenvolvimento social e económico do País – mantêm-se.

 

Durante os seus primeiros anos, a Universidade ofereceu principalmente programas de licenciatura e especialização, mas desde 1977 desenvolveu um projeto de expansão consistente.



A NOVA é uma Universidade descentralizada, o que significa que as suas Faculdades e Institutos gozam de um elevado grau de autonomia.  A NOVA conta atualmente com mais de 19.000 alunos inscritos, um total de 1.491 docentes, 804 funcionários e 225 investigadores.

 

 

 

    

 

Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa

 

A Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa é normalmente conhecido pela sigla FDUNL, ou pelo mais carinhoso 'Nova - Direito'. É a instituição de ensino de direito mais recente e mais avançada. Foi fundada em 1996, sob a iniciativa do Professor Diogo Freitas do Amaral, a fim de desafiar uma forma bastante conservadora e tradicional de ensinar e aprender direito em Portugal.

 

A FDUNL abriu novas disciplinas (cursos) e realizou um programa de doutoramento bem sucedido antes das outras faculdades seguirem no mesmo caminho. Os professores ensinam de uma forma mais aberta e informal, utilizando vários meios de comunicação audio-visual e análise de ambas as questões teóricas e jurisprudência relevantes. Os graduados são capazes de realizar tarefas exigentes que exigem conhecimento jurídico nacional e internacional.

 

A Faculdade de Direito interage de perto com o resto da sociedade, proporcionando tanto os pareceres de peritos como cooperando em programas orientados para a comunidade. Advogados experientes proporcionam algumas aulas práticas e palestras fora do campo do direito são oferecidas por especialistas do seu campo.